Atacado Distribuidor

A solução definitiva para reduzir custos na sua operação logística!

Armazenamento, transporte, roteirização, devolução, segurança de veículos e mercadorias: ninguém precisa dizer o quão complexo e burocrático pode ser tudo que envolve logística. No entanto, o que realmente ameaça o Atacadista Distribuidor não é a complexidade do processo, mas sim o investimento que toda essa operação envolve.

Para se ter uma ideia, segundo a Fundação Dom Cabral (FDC), baseado nos dados apurados de 130 empresas, de 2015 a 2017, os custos logísticos podem chegar a 12,5% do faturamento total do Atacadista Distribuidor brasileiro. Mesmo que você terceirize esse serviço de alguma forma, com certeza sua organização passa por alguma etapa logística até o processo chegar nas mãos da sua empresa parceira, e é sempre importante ficar atento com gastos desnecessários ou falhas operacionais. Qualquer passo mal dado pode doer, e muito, no bolso das organizações. Levando em conta que este é um segmento que trabalha com margens de lucro apertadas, o grande desafio é tornar a operação mais eficiente e reduzir custos.

Qual a solução?

Pura e simplesmente, em meio à tanta complexidade, a resposta é a automatização dos processos logísticos através de recursos tecnológicos. Em qualquer setor econômico, não só no Brasil, mas em todo o mundo, essa automatização dos processos proporciona ganhos de produtividade, melhora a experiência de consumo e pode até reduzir o impacto do setor no meio ambiente, conta o especialista, Jair Alves, presidente da Câmara da ABIMAQ.

Contudo, entre tantas soluções tecnológicas no mercado, fica difícil escolher qual é a ideal para o seu negócio, principalmente levando em conta que cada empresa tem suas particularidades. E, é claro, escolher uma tecnologia precipitadamente pode sair caro e atrapalhar a produtividade de sua operação. Exatamente o oposto do que se é esperado de uma nova tecnologia contratada!

Onde investir?

Há várias tecnologias hoje no mercado que são novidades e atendem de imediato a problemas do dia a dia, como transportadores automáticos, miniloads, carrosséis verticais, empilhadeiras autônomas, entre muitas outras. Entretanto, antes de seguir a onda do momento, é preciso se perguntar se essas tecnologias realmente vão atender a um problema real da organização.

Basicamente, para saber qual será o melhor investimento tecnológico, precisamos identificar quais são os gargalos da operação. Suponhamos que o seu problema esteja nos altos índices de devolução. Será que os produtos vindos do fornecedor são de qualidade? Será que os pedidos expedidos não são os corretos? Esse erro é recorrente?

Se você respondeu positivamente a todas as perguntas, então provavelmente o gargalo está no processo de separação, e você investigou e identificou o problema como um verdadeiro detetive! Agora, você pode buscar uma solução, averiguando, por exemplo, se vale a pena implementar um sistema de Voice Picking na operação, ou investir na capacitação dos funcionários.

.

Indicadores de logística no estoque.

Blog

Os 4 Indicadores de Logística

É primordial automatizar essa identificação de problemas e de oportunidades de melhoria. Isso evita que você vire aquele detetive procurando uma agulha no palheiro, em busca de redução de custos, mas sem a velocidade que só a tecnologia pode oferecer. Assim, seu maior aliado nesse processo é uma ferramenta que auxilie a organização a monitorar seus principais indicadores logísticos, como devolução, tempo de entrega, pedido perfeito, etc.

Quer um exemplo prático?

A distribuidora Cetap usou sua plataforma de BI e Analytics TARGIT para identificar pedidos que estavam sendo erroneamente cobrados antes de serem entregues. Tudo partiu de uma desconfiança vinda do setor financeiro em relação ao operador logístico. Ao fazerem uma análise apurando os indicadores de faturamento, data de faturamento e previsão de entrega, e cruzando com os dados do parceiro logístico, a empresa fez um ajuste que resultou em cerca de 70 mil reais a mais no fluxo de caixa. “Esse montante paga a folha de muita gente” – diz Dennis Magalhães, gestor de TI na Cetap Distribuidora.

Já o Grupo Sorpan resolveu um dos problemas que mais assombra uma operação logística – os altos custos gerados pelo transporte em longa e média distância. No geral, essa questão corresponde a 63,5% do custo logístico total, segundo o coordenador do Núcleo de Infraestrutura Logística da Fundação Dom Cabral, Paulo Resende.

Por cobrirem cerca de 800 a 1000km de distância no estado do Mato Grosso, Rondônia e Pará, a Sorpan tem a necessidade de acompanhar diferentes métricas, muito além do faturamento e do volume de vendas. Ao utilizar a plataforma de análise de dados da TARGIT, a empresa finalmente conseguiu levar informação para os seus colaboradores, dinamizar os processos e monitorar os principais KPIs logísticos. Consequentemente, houve um aumento nos ganhos e um crescimento de 40% [MOU1] no comparativo ano a ano. “(…) conseguimos aumentar a quantidade de representantes e aumentar a quantidade de frota baseado na parte comercial.” – Ricardo Melo, gerente de TI no Grupo Sorpan.

A solução definitiva!

Geralmente quando se fala em BI e Analytics se pensa logo na área comercial e como a empresa aumentará o volume de vendas. Mas uma plataforma de Business Intelligence pode ir muito além. Detectar gargalos e otimizar a operação de diversas áreas também garantirá maior lucro para a organização, principalmente em uma área tão custosa e complexa como a logística.

E principalmente hoje em dia, com a crise econômica e a alta nos preços, o consumidor perde cada vez mais seu poder de compra, e isso ameaça fortemente o Atacado Distribuidor de bater as suas metas de vendas, e se torna essencial para as organizações buscarem de dentro as mudanças que garantirão as suas margens de lucro. O maior aliado do setor são os próprios dados, é só saber minerá-los da melhor forma em busca do ouro..

.

Veja também

Como o Grupo Sorpan aumentou 40% da sua operação com o BI TARGIT